domingo, 12 de julho de 2009

Optimus Alive, os 3 dias! (EP.06 - Último episódio)



QUINTA:

Na quinta chegámos a Lisboa. Chegar a casa do Poulsen é bastante fácil. Estamos na A1, saímos na cortada de Alvalade, nos primeiros semáforos que encontras é virar à direita, e depois é seguir em frente até encontrar uma estátua e já estamos em casa deste grande senhor. Por isso, já sabem meninas, ele garante as portagens. O gasóleo tem que ficar por vossa conta! Estamos em tempos de crise, mas certamente que será uma noite bem passada na companhia do Poulsen.
Pelo caminho, encontrámos o Pedro Silva, Gordo como tudo, até me apeteceu perguntar se ele anda a fazer competição com o Rockemback. Pedro, a picanha anda muito barata, mas não é preciso exagerar. Tem lá calma com isso! Encontrava-se num Mercedes topo de gama, juntamente com os seus dois filhos e mulher. Chamei-o, acenou e arrancou aquando a mudança dos sinais do semáforo.
Chegámos a casa do Poulsen, fomos muito bem recebidos e instalados, ficámos há conversa uma meia hora e partimos para o Optimus Alive. Acho que tanto o João Moutinho como o Argolinhas eram as pessoas mais normais daquele recinto. Góticos, Death people, eu sei lá o que vimos naquelas quatro horas!
Se nos perguntarem se gostámos, Nós adorámos! O concerto dos Slipknot foi qualquer coisa de outro mundo e consideramos que toda a gente deve viver aquele concerto pelo menos uma vez na vida. Para além do grande espectáculo que observamos, com momentos muito pesados, é de notar a excelente voz que o vocalista, Corey Taylor, tem. Quem dera a um Angélico ou a um Cifrão ter uma voz daquelas. Segundo o Poulsen, nós ficámos possuídos com o que vimos. Histórico, memorável, indescritível. É nestes momentos que eu me sinto ignorante e sem palavras para descrever tal concerto.

É de notar que as pessoas que gostam de música mais pesada têm uma visão mais abrangente do que é a verdadeira música. Vi imensa gente, depois do concerto dos slipknot, irem para as tendas electrónicas curtirem algo mais house. Já o contrario, recrutar pessoas das discotecas, para observarem um concerto dos grandiosos slipknot tornava-se numa tarefa um pouco mais complicada!
Vi pouco o concerto dos Klaxons, mas foi algo que já estava à espera. Muito bons ao vivo. Sempre muito electrizantes e a puxar constantemente pelo público.

Ainda vimos o Nuno Lopes dos contemporâneos a passar música na tenda electrónica.
Ele é actor de cinema, ele é actor de revista, ele é actor cómico, ele é DiscJokey, Ele é o multifacetado Nuno Lopes. Só falta jogar à bola como o Cristiano Reinaldo.

SEXTA:

No dia seguinte combinámos que iríamos ao Tamariz, uma discoteca chique do Estoril. Acordámos, jogámos um PES, no qual o Argolinhas saiu vencedor nesses dois jogos, e partimos para o Saldanha, para almoçar. De regresso, reparámos num preto, doidinho provavelmente, que se encontrava em frente a um prédio, a discursar sozinho sobre um tema qualquer. E de forma muito convicta! Na verdade, não percebemos muito bem o que o homem havia dito, mas quem fala daquela maneira certamente que não é gago!
Passámos o resto da tarde no bairro alto e durante todo o percurso, Tia Silvório, que muito interessa ao Poulsen, foi tema de conversa.
“É que ela tem qualquer coisa de especial”, afirmava Poulsen.
“Podes crer”
“É que eu por ela deixava de estudar, deixava de ver o Binya jogar, deixava tudo! Vejam lá se ma trazem da próxima vez que cá vierem. Façam-me acordar com ela de manhã. Até lhe faço o pequeno-almoço, se for preciso.”
Durante o nosso trajecto vimos a Raquel Strada, actriz do rebelde way, mas a fazer um trabalho como repórter.
“Ser repórter é altamente, passeia-se, faz-se umas perguntas aqui e acolá, e pronto, está feito”, Afirmou Moutinho indignado.
Passados dois minutos, a repórter começa a gravar e a gritar repetidamente:
“SALVEM O CÁGADO, SALVEM O CÁGADO, SALVEM O CÁGADO!”
O alarido da rua estagnou, focando todas as atenções para a menina em protesto e Moutinho reformulou:
“Bem, se calhar não é assim tão bom ser repórter”
Já em casa decidimos jogar mais um Pes e partirmos para o Alive. O concerto dos Placebo foi inesquecível, mas o auge da noite foi mesmo os The prodigy. Houve uma altura que o Liam, pediu para nos agacharmos. Argolinhas ficou desde logo contente, porque à frente dele tinha uma rapariga muito gira, pelo que, aquando o abaixamento, encaixou exactamente na parceira da frente. O problema foi quando lhe deu na cabeça de se virar para trás, reparando que se havia encaixado num brutamontes, cheio de barba e feio como tudo. Perdeu-se desde logo todo o entusiasmo criado.


João Moutinho deu ainda uma entrevista à MTV. O Diogo é muito simpático e muito afável.
“Isto hoje é outro material, oh Diogo. Ontem eram só góticas”
“Hoje é champions”, referia o Diogo
“E amanhã, com black eyed peas vai ser melhor”, reforçou Moutinho.
Riu-se.
Saímos do Alive super cansados, fartos de saltar e gritar. Portanto, fomos para casa, tomámos banho, bebemos o nosso leitinho e … fomos sair com o Poulsen para o Tamariz. Ele já estava aterrado na cama, mas para ver Aviões aprontou-se logo em quinze minutos!
Já no Tamariz aquilo tornou-se um sonho de vida. Só Tias Boas. É um local chique, com muita classe, onde não se vê Ni-gas nem espécimes equiparáveis, isto porque acabam por ser logo barrados à entrada.
Mais volta menos volta, deparámo-nos com o Marco Horácio. Na verdade, ele não tem mesmo pescoço. Moutinho foi ao encontro dele, claro está:
“Oh marco a Diana Chaves é mesmo boa, não e?”
“Podes crer!”
“Não te apetece mandar o César Peixoto para favaios?”
“ Epa, eu também já merecia, estive com o rocha durante 3 anos porra!”

À Saída do tamariz vimos um verdadeiro “gajo”, preto, magro, com um cinto na mão à nossa espera:
“Epah chavalo, eu sou um gajo de rezas, de macumbas. Sou religioso. Mas isso não está em questão nem em causa agora. Por acaso vocês não têm dois euros?”
Se é para sermos assaltados, ao menos tem que ser um assalto de jeito, com um gajo que nos meta medo!, pensámos nós.
“ Joana, Joana, espera aí”, dizia o poulsen, passando pelo rapaz com uma pinta; parecia o paíto a fazer um túnel ao Luisão. Na verdade, não havia Joana nenhuma, era só um artefacto para despistar tal desajeitado criminoso.
Mas Luisão insistia, tentando provocar o medo no nosso hipotálamo:
“Dois euros, dois euros”
E fomos embora dali, naturalmente e desprezando totalmente tal rapaz!

SABADO:
Saldo positivo para o poulsen no pés. Nos dois primeiros jogos, de sexta, perdeu duas vezes, por escassos 1-0 com argolinhas. No dia seguinte fizera-se mais quatro jogos, saindo vencedor em todos eles.
Programa para sábado:
Linda Martini e Black eyed peas
Os Linda Martini encheram completamente a tenda onde se encontravam, a tenda dos discos. Gerou-se um bom ambiente naquele local, com o público a aderir em massa. Pena os Black eyed peas estarem a actuar à mesma hora no palco Optimus, levando algum público para o palco maior.
Já neste último, tanto Moutinho como argolinhas tentaram ficar numa zona apropriada a visualizar, com relativa qualidade, os atributos da Fergie. Curiosamente ficámos numa zona onde se encontrava uma inglesa bem gira, na perspectiva de João Moutinho, tendo este olhado mais para esta do que propriamente para a Fergie. Nada perdeu, porque a Fergie mais parece a Manuela Moura Guedes que outra coisa! Mas tem um grande Corpo, verdade seja dita! Contudo parece mesmo a Manuela Moura Guedes. Vá, até marchava, com uma litrada de Vodka Red bull primeiro :)
Foram três dias muito intensos, onde se passou muitas outras coisas. Vimos muitas caras famosas, como devem imaginar, mas também assistimos a cenas muito degradantes.


Agradecimentos:
Jéssica athayde, pelas visões que nos proporcionou durante o concerto dos Placebo.
Poulsen, por nos ter acolhido muito amavelmente em sua casa.


PS: Ainda vai ser feito um post com imagens exclusivas da fergie, vídeos do Nuno Lopes dos contemporâneos, dalguns concertos, de moshs e ainda um vídeo com o Jel do vai tudoabaixo, captado pelo Telemóvel do João Moutinho.
Fiquem atentos ao blog, A não perder!

Abraços de João Moutinho e Argolinhas



12 comentários:

JoaoMoutinho disse...

Está muito extenso, mas são tres dias pessoal!

argolinhas disse...

blackout!so deixei ganhar o poulsen no pes porque parecia mal ele deixar-me ficar la em casa e ainda por cima nao o deixar ganhar.

Anónimo disse...

enfim... contentam-se com qualquer uma que vêm!
que tristes...

JoaoMoutinho disse...

Pores anonimo ou pores o teu verdadeiro nome é rigorosamente igual :)

Ranhoca disse...

que inbeja!

Anónimo disse...

JoaoMoutinho disse...
Pores anonimo ou pores o teu verdadeiro nome é rigorosamente igual :)



ui... entao va, diz la quem sou eu ;)

El Gordinho disse...

gandas malucos! é assim mesmo. vocês são OS rebeldes! m
as uma coisa é certa:

O NOTTINGHAM É MUITO MUITO FORTE.

PMinistro disse...

NAAOOOO PA!! SION É Q É BOM!!!

Ni-ga! disse...

Avia la betos para gamar e dar aos pobres?

Pedro Moura disse...

Avia, mas com H oh Ni-Ga! Aprende a iscrever!

Kikas disse...

*escrever! lol

Qualquer dia o VaiPaSelva tem que dar um curso de ortografia e sintaxe. xD

Anónimo disse...

O Moutinho e o argolinhas sao geniais!!!

Publicidade

Para efeitos legais é importante explicar que o nosso site usa uma Política de Publicidade com base em interesses.