quarta-feira, 8 de setembro de 2010

O que me aconselha de Portugal?, por Tuga

O Benfica!

Os grandes escritores portugueses: o Eça, o Camilo, o Aquilino, nos mais antigos. O Lobo Antunes, o Fernando Campos, o Pedro Rosa Mendes nos contemporâneos.
Nos poetas: o Camões, o Pessoa, o Mário Cesariny,o Mário Henrique Leiria...

O Benfica!

A música: os fados da Amália e do Alfredo Marceneiro e os mais recentes da Ana Moura e da Mafalda Arnauth.
O rock em português, os GNR dos bons velhos tempos (não os actuais) e os velhos Xutos (não os vendidos de agora).
Os grandes cantores de intervenção, uma coisa muito nossa, comparável à bossa nova deles: o Sérgio Godinho, o grande Zeca (um marco também no fado de Coimbra, juntamente com o Luís Goes), o Fausto, o Zé Mário Branco, os Trovante antigos, o Carlos Paredes... Nas recolhas da música popular do Michel Giacometti e na brigada Victor Jara...
Diz-lhes que temos alguma boa música clássica: o barroco de Filipe Pires e a música moderna de Jorge Peixinho... E bons intérpretes como a Maria João Pires, ou o António Rosado.
Excelentes solistas como o Mário Laginha (com ou sem a Maria João), o Bernardo Sassetti, o António Pinho Vargas...

O Benfica!

Fala-lhes dos nossos pintores: Nuno Gonçalves, Vieira da Silva, Almada, Paula Rego...

E do Benfica!

Não vale a pena alongares-te muito sobre o nosso cinema, mas o cinema documental do Jorge Pelicano e Aquele Querido Mês de Agosto do Miguel Gomes (e eu aproveitava e falava do nosso kitch, do Marante, do Emanuel, do Nel Medeiros e do Malhoa, gandas malucos). Este cinema é original, acho que lhes interessaria...

E o Benfica!

A nossa comida que, ou é defeito do meu palato, ou é mesmo do melhor: da lampreia, do leitão, do bacalhau, dos pézinhos de coentrada, do nosso peixe, dos percebes e das ostras, ufff, é só puxar pela memória. Dos nosso grandes restaurantes. E do nosso excelente vinho: o Barca Velha, o Pêra Manca, os Patos, o Vale Meão, o Batuta, etc, etc. Do Porto, do favaios, do madeira.

Do Benfica!
Do Minho, que é verde; de Trás-os-Montes, que é árido e selvagem; do Porto que é a melhor cidade de Portugal e o sítio onde os portugueses são mais brasileiros; da costa de Aveiro; de Coimbra; da Serra da Estrela; de Castelo Branco e do seu Boom Festival; do Oeste, das suas praias e de Óbidos; de Sintra e de Mafra; de Lisboa, que é cosmopolita e tem o Glorioso; de Sesimbra, de Tróia e do Portinho da Arrábida (mas não fales na cimenteira); e de Setúbal; da imensidão do Alentejo, que faz lembrar o ceará deles; das suas praias, que são as melhores de Portugal (que pena as águas tão frias); esquece o Algarve na época de férias, que não é tuga, mas dá-lhe o benefício da dúvida em Junho.

Do Benfica!

Da nossa história, que a escola desdenha: da resistência aos Romanos e de Viriato, da geração de Borgonha que nos fundou, da Reconquista; da fabulosa Geração de Aviz, que foi do mestre de Aviz a D. Sebastião (e não deixes de lhes explicar que tivemos, entre outros, um génio no trono que foi D. João II e que, sem ele, talvez eles hoje falassem espanhol), do Infante D. Henrique, que não foi rei mas é como se fosse. Diz-lhes que houve um rei dos nosso que fugiu para aí e foi morar no Rio. Adorou e não queria regressar! Fala-lhes em D. Pedro, que foi o nosso IV e o I deles. Fala-lhes em 1640 e em 1910. E, claro, explica-lhes quem foram os nossos descobridores: Dias, Gama e (para eles é importante), Cabral. Mas não os branqueies. Explica-lhes que corremos com os Mouros do Algarve, estivemos na Guiné, em Angola, em Moçambique, na Índia, no Brasil e assobia para o lado quando te perguntarem como é que depois disso tudo chegámos ao ponto de ter um falsificador de licenciaturas a mandar em nós...

E não te esqueças de lhes falar do Benfica!

Fala-lhes dos nosso monumentos: do nosso Manuelino, estilo único no mundo, e dos Jerónimos; dos Templários e do que cá deixaram (do castelo de Almourol e do de Tomar; do mosteiro de Alcobaça; dos nosso muitos castelos e, sobretudo, do de Guimarães. Diz-lhes que somos o povo que existe há mais tempo, enquanto tal, em toda a Europa. Vão ficar admirados!

E do Benfica!

Da nossa arquitectura, principalmente de Siza Vieira (do Museu de Serralves, da Casa do Chá em Leça, da igreja, do bairro no Alentejo, do Pavilhão do Conhecimento na Expo...) e no Souto Moura que até fez um estádio de bola que é uma obra prima e não, não é o do Benfica é o do Braga...

Diz-lhes que somos um país geralmente seguro, que vives numa cidade onde te podes esquecer de deixar as portas abertas e onde podes andar à vontade durante a noite...

E do Benfica, claro!

Bem, por agora acho que isto chega. Mas acima de tudo, não sei se já te disse, não te esqueças de falar no Benfica que é maior do que este imenso país. Eles sabem que o Benfica é o clube onde joga o David Luiz? Pois é, não podes esquecer-te de lhes falar do Benfica...

Há comentários que merecem ser post.
Este grita por, mais que um post, ser um livro ou o programa de uma disciplina obrigatória em Portugal. 

Obrigado aos brasileiros em geral, e em especial a quem me colocou a questão que originou o post anterior: sem eles não me teria lembrado de convocar esta verdadeira aula sobre o meu país. 

Obrigado, Tuga, pela lição!

13 comentários:

Mafalda Delgado disse...

Gostei muito! até me vieram lágrimas aos olhos. Talvez por 90% dos americanos que conheci não saberem sequer onde é Portugal ou que no Brasil se fala português (e não espanhol). Sou a única portuguesa aqui, e é com todo o orgulho que digo a quem não sabe onde é o meu país :)
Escusavas de me ter lembrado do favaios e, principalmente, do peixe :p

Asus disse...

De pé, Tuga!

CLAP, CLAP, CLAP, CLAP!!!

Pablito disse...

ui, lindo.

fala-lhes essencialmente, do Sport Lisboa e Benfica.

Pablito disse...

E depois disso, aí sim, acho que vale mais ofereceres um livro da História de Portugal.. aqueles do 7º ou 8º ano servem.


Tuga, e escreveres um livro?
Ainda ganhavas uns trocos, han?

Kafka disse...

Numa palavra: FANTÁSTICO!!

Kafka disse...

Numa palavra: FANTÁSTICO!!

PB disse...

Os meus parabéns ao autor deste texto,está excelente:D

Ranhoca disse...

é lindo como me senti orgulhoso de ser TUGA depois de ler este Post. Obrigado tuga por levantares a minha alma patriótica depois dela ter-se quase desmoronado com a derrota da selecção!

Força Portugal

Tshabalala disse...

Parabéns ao autor pelo excelente texto. O que era preciso era que os casos tipo Carlos Cruz, Queiroz, Face Oculta, Apito Dourado, Vale e Azevedo e etc fossem tratados com rapidez e justiça para não termos de levar com isto anos e anos e no fim quem perde é o país, que fica manchado por toda esta corrupção. O que podemos concluir é que a única coisa que não mancha o nome deste país é o Sport Lisboa e Benfica :D

Kafka disse...

OLHA , E FALA NO LADRÃO DO OLEGÁRIO QE NÃO DEIXA O BENFICA JOGAR DE IGUAL PARA IGUAL COM AS RESTANTES EQUIPAS. AH , E SE TIVERES TEMPO FALA-LHES DO VITOR PEREIRA, AFINAL NEM TUDO É BOM EM PORTUGAL

Kikas disse...

Depois de um texto que enaltece Portugal, não falemos daquilo que todos se queixam mas sim daquilo que a maioria esquece de valorizar.

A meu ver só falha a parte do Benfica, e se não a tivesse diria que é um hino mais extenso e em prosa. Agora com o Benfica lá... descamba tudo!

[E num aparte, por falar em Olegário, vejam isto: http://www.youtube.com/watch?v=gZ8__iJwd7Y ]

Anónimo disse...

Mário Henriques Lisboa ou Mário Henrique Leiria?

Anónimo disse...

Leiria, anónimo, Leiria, tens toda a razão, mea culpa...
Tuga

Publicidade

Para efeitos legais é importante explicar que o nosso site usa uma Política de Publicidade com base em interesses.