segunda-feira, 31 de maio de 2010

Jorge Costa sucede a Villas Boas

"A Direcção da Académica já escolheu o novo treinador. É Jorge Costa, que nas duas últimas temporadas orientou o Olhanense.

Ainda não existiram contactos oficiais com o técnico, uma vez que ainda decorre o processo de desvinculação com André Villas Boas (tem contrato até 2011, mas tudo aponta que seja apresentado em breve no FC Porto), mas mal esse assunto seja concluído dirigentes e treinador vão sentar-se à mesa.

Com a ida de Jorge Costa para Coimbra, e a mais que certa mudança de Villas Boas para o Porto, o plantel academista receberá alguns jogadores vinculados ao emblema do dragão, ao exemplo do que aconteceu em Olhão (Castro, Ukra, Ventura e Tengarrinha, por exemplo, estiveram emprestados)."
Texto de abola.pt

Os adeptos só podem ser da Académica. Mas os jogadores podem ser do Porto, os treinadores (Domingos e Jorge Costa também), as inaugurações dos restaurantes relacionados com o clube (Still is Coimbra) são feitas por benfiquistas (eu sei que o Eusébio é a Pantera Negra, mas que eu saiba o "negro" do nome não é por causa da Académica)...

Será que essa defesa cega da Académica para os uni-clubistas faz mesmo sentido?

Os tempos parecem dizer que não, meus caros...

domingo, 30 de maio de 2010

E o sonho ali tão perto...


Hoje tínhamos dois selvagens a lutar pela subida de divisão: o Pitt e o Specisalé. Para estes, com os resultados dos outros campos, bastava o empate. Aos 90' estava 1 a 1 e os selvagens iam subir. Nos descontos sofreram o segundo golo, perderam 2 a 1 e ficaram na mesma divisão. Isto numa equipa a quem todos (ou quase todos, só mesmo quem não conhecesse os jogadores podia acreditar nisso) vaticinavam a descida é um feito fantástico.

O futebol é um jogo dramático. Imagino o sofrimento por que devem estar a passar porque, também eu, já passei pelo mesmo. Imagino que devem estar a pensar que não vale a pena andar num desporto que nos faz sofrer tanto [e a dor não é só física, entenda-se]. Imagino a noite que eles vão passar. Imagino a semana que vão ter. Pode ser só imaginação minha, mas quando a mim me aconteceu o mesmo (e ao Specisalé também, porque jogávamos juntos) passei uma semana sem dormir decentemente. Um gajo dá mais valor a isto do que de facto devia... ou será que não?

Posso dar-vos a minha opinião, Specisalé, Pitt [e o outro, que não tem nome no blog, daí nunca o ter referido]? Talvez lhe estejamos a dar o valor que de facto merece. E sabem porquê? Porque quando vejo a quantidade de telefonemas, de mensagens e até de e-mails que recebi dos nossos amigos a perguntarem quanto ficou, tal era a ansiedade para saberem se podiam ou não festejar... tive a certeza de que cada lágrima, cada joelho esfolado ou perna partida (desde que não seja a minha, claro) valeram a pena. Já pensaram que se não fosse isso não estaríamos agora aqui?

Quinhentos


Andei à procura de um tema que me permitisse escrever um post rapidamente. Sabem que com testes e exames torna-se difícil alimentar o blog SÓ COM UM SELVAGEM A ESCREVER (inchem!). Ora, outro dos meus objectivos era arranjar um título sugestivo. Daí o nome de "Quinhentos". Achei que dificilmente alguém conseguiria saber o título sem sentir uma enormíssima vontade de vir ler isto.

Passo seguinte: usar uma fotografia que fizesse as pessoas virem ao blog. Havia duas opções: "gaijas" ou dinheiro. As "gaijas" à partida só trariam rapazes. Apostámos no dinheiro. Quem vê a nota de 500€ pode achar que os ganhámos de alguma maneira e por isso vai querer saber como foi.

Mas não foi nada disso. Este post é só porque hoje festejamos a marca dos 500 posts desde o nascimento do VaiPaSelva. 

E agora fica um pedido: Pitt e Specisalé, será que não nos podem dar outra prenda ainda hoje?

[E por favor alguém que faça um postzito de vez em quando que os próximos dias vão ser de loucos para mim...]

sábado, 29 de maio de 2010

O Melhor Jogo da Minha Vida, por S. Tomé


No dia 27 de Fevereiro de 1977 fui, pela primeira vez na vida. ver um jogo de futebol. O meu pai levou-me a ver o Benfica que defrontou a Académica (na altura CAC)no estádio Municipal de Coimbra. Até aí eu gostava, principalmente, de jogar futebol mas só isso. Não sabia muito das equipas, mas depois desse jogo tornei-me um apreciador a sério da bola. Do Benfica sempre fui, mesmo muito antes desse jogo.

Nunca esqueci a entrada no Municipal... O meu pai foi obrigado a comprar os bilhetes na candonga e entrámos pelo portão do lado do Liceu D. Maria. De repente, ali estava eu, no meio de uma multidão fanática a gritar Hossanas ao Glorioso. Ouvia vozes a berrarem a constituição da equipa do Benfica e a gritarem Chalana como se fosse Cristo, Shéu, Zé Luís, Alhinho e Alberto como se fossem os apóstolos. Foi inesquecível, acho que foi a primeira e única vez que me senti religioso e o medo inicial da multidão deu lugar a um sentimento de beatitude.

Recordo-me de polícias montados nos seus cavalos enormes que me aterrorizavam. De vez em quando havia mesmo umas bastonadas neste e naquele adepto mais nervoso. Mas o tal sentimento de religiosidade foi mais forte que o terror e lá acabei por entrar, não sei como, suponho que levado pelos ares entre a força da multidão e o aconchego do meu pai.

É curioso que eu me lembre de tanta coisa desse dia, aquelas memórias ficaram-me para sempre. Nunca mais me esqueci, por exemplo, da equipa do Benfica que alinhou nesse jogo: Bento na baliza; Bastos Lopes, Carlos Alhinho, Eurico e Alberto;Shéu, Zé Luís e Vítor Martins; Nelinho (Moínhos na 2ª parte), Nené e Chalana. O Benfica começou muito mal esse campeonato. Mas depois, o seu treinador, o inglês John Mortimore, resolveu lançar na equipa três juniores de uma vez, Alberto, Zé Luís e o fabuloso Fernando Chalana, tinha 17 anos na altura. O Glorioso nunca mais perdeu e acabou campeão. Nesse jogo com a Académica venceu 1-0 com um golo do Nené.

Quanto à Académica alinhou assim (não me lembrava de todos mas felizmente existe o livro Académica - História do Futebol e está lá tudo): Hélder; brasfemes, carlos alhinho, zé freixo e martinho; mário campos (rogério), rachão (vala)e gregório; camegim, joaquim rocha e costa. A académica tinha uma grande equipa, a sua linha avançada, principalmente, era temível. O Joaquim Rocha era um ponta de lança muito rápido e explosivo; o Costa foi apenas o melhor jogador de sempre da equipa, um extremo poderoso que levava tudo à frente. E o camegim era um tecnicista nato, um jogador muito fino.

O Benfica ganhou esse jogo para minha felicidade mas não foi nada fácil. Mas a sua equipa era superior, tinha uma defesa inexpugnável, tecnicistas como Shéu e Chalana e jogadores velozes como o nelinho e o zé luís. E depois tinha o nené que não sujava os calções, mal tocava na bola e tinha cagufa, mas que não falhava um golo. Ainda me lembro do que ele marcou nesse dia, uma bola colocada com a parte lateral interior do pé direito, em habilidade, de fora da área quando toda a gente esperava um remate em força. Parecia simples!

Nesse tempo ainda não existiam as normas de segurança apertada de hoje. Não havia torniquetes, nem bilhetes com lugares marcados nem stewards. Havia alguns polícias apenas. O estádio Municipal devia levar umas quinze mil pessoas, mas nesse dia estavam lá dentro umas 30 000. Lembro-me que começámos a ver o jogo na bancada, mas estava tudo em pé, as pessoas amontoadas umas em cima das outras porque se vendiam mais bilhetes do que a lotação do estádio. Se fosse hoje era um escândalo.

Antes ainda de começar o jogo, deu-se a primeira invasão de campo, simplesmente, porque havia gente a mais para tão poucas bancadas. Mas não foi nada de grave. As pessoas foram-se sentando na relva em volta do campo e outras ficaram em pé nas pistas de atletismo. Achei o máximo - tinha a oportunidade de ver os dribles do Chalana e os correrias do Zé Luís mesmo ao pé de mim! Correu tudo bem e só me lembro de uma segunda invasão pacífica dos adeptos do Benfica quando o nené facturou e de outra no fim quando ganhámos o jogo.

Ficou-me para sempre uma vaga memória da plasticidade do jogo, das camisolas rubras do Glorioso, do negro da académica, do arfar da multidão, do delírio do golo e de uma defesa do bento a remate do Joaquim Rocha que desafiou as leis da gravidade. Houve alturas em que julguei que aquela gente não era humana, quando somos pequenos somos profundamente inocentes, afinal, vendo-os hoje, cinquenta quilos mais tarde e muitos cabelos brancos depois eles parecem-me todos tão humanos...

E também me lembro do percurso para o estádio no velho Fiat 128 do meu pai. Coimbra era então muito diferente do que é hoje e a Académica era o verdadeiro clube da cidade (hoje já está muito longe de o ser, perdeu-se a identidade). Os carros dos adeptos do Benfica circulavam em fila, lentamente, e eram insultados das janelas pelos academistas que eram a cidade inteira. Fiquei amedrontado com aquilo, mas percebo agora que o futebol é feito dessas paixões, não é grave enquanto não passar de certos limites. Mas na altura eu era um miúdo e não percebia isso. Assim, até a vitória do Benfica me soube melhor. Quando o jogo acabou e fizemos o percurso de volta, eu não cabia em mim de orgulho e felicidade e os insultos dos adeptos da académica, agora, pareciam-me música. Sentia-me imortal! No fim desse jogo eu tinha decidido: queria ser jogador de futebol durante toda a vida, sonho que, nunca saberei se feliz ou infelizmente, jamais cheguei a realizar.

Mas pelo menos fiquei a adorar futebol. De tal modo que o ano passado levei o meu filho pela primeira vez à Luz para ver jogar o Benfica, por coincidência, com a Académica. Acredito, pela expressão extasiada com que o vi a olhar para o Aimar, para o Reyes, para o David Luís e para o Cardozo, que ele também não vai esquecer esse dia. A história repete-se, afinal... Mas não exactamente como gostaríamos: no jogo em que eu fiz de meu pai e o meu filho fez de mim, o resultado também foi de 1-0. Mas desta vez, para meu desespero e do meu filho, a favor da Académica...

Post daqui.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Alguém mesmo genial...


"Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias (...) foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui p'ra diante vai ser diferente."

Uma assustadora verdade, não é?

(Não reparem, mais uma vez, na hora do post. Nesta Selva não dorme nem o leão...)

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Tenhamos memória


Outro dia, estava eu a ver o programa do Bruno Nogueira da RTP1 quando, pasme-se, o programa... acaba. Nada de especial até aqui, não é verdade?

Chateado com o facto de o programa ter acabado (acho que lhe foi a primeira vez que achei mesmo piada), começo no habitual zapping. E o que aconteceu a seguir é, também, digno de registo: não estava a dar nada de jeito. Portanto este post parece condenado a ficar muito fraquinho, visto que já vou no final do segundo parágrafo e ainda nada disse.

No momento seguinte ao zapping aconteceu o improvável: escolhi o canal que ia ficar a ver. Foi a Sic, visto que nos outros estava a dar publicidade. E, por essa altura, estavam a dar os Globos de Ouro, coisa com que eu nunca tinha perdido mais de 2 minutos. Estava o Ruy de Carvalho a homenagear o Raúl Solnado e eu comecei a criticar (não, não estava a falar sozinho) que só depois de mortos damos o devido valor às grandes pessoas. Disse, a certa altura, que gostava imenso do Artur Agostinho e que ele bem que merecia uma homenagem.

Mas depois veio o Prémio Revelação ganho pela Daniela Ruah contra adversários como o Fábio Coentrão e a indignação foi tão grande que logo me saiu o grande Artur Agostinho na cabeça. Isto da Daniela Ruah ser uma boa revelação é muito bonito, mas queria ver o que é que ela fazia se a adaptassem a defesa-esquerda, como fizeram ao Coentrão!

Adiante: no final da noite, qual não é o meu espanto quando vejo a fantástica homenagem que fizeram ao tal grande Senhor, Artur Agostinho. O momento é longo e, por isso, aos menos interessados aconselho que vejam pelo menos o vídeo que fizeram em homenagem ao Senhor. Vai desde o minuto e meio aos 6 minutos. Vejam que vale a pena. E, como diz Artur Agostinho, "tenhamos memória":

terça-feira, 25 de maio de 2010

Equipa do Ano: Liga Sagres 09/10


Guarda-Redes - Quim/Eduardo - Acabaram por ficar com os mesmos votos (32). Segundo o critério do Queirós ganha o Eduardo... porque é mais novo!
Defesa Direito - Maxi Pereira, com 31 votos.
Defesa Esquerdo - Fábio Coentrão, com 33 votos.
Centrais - David Luiz e Luisão, com 64 e 38 votos, respectivamente.
Trinco - Javi García, 52 votos.
Médio Esquerdo - Di María, 59 votos.
Médio direito - Ramires, 37 votos.
Nº10 - Pablo Aimar, 39 votos.
Avançados - Saviola e Falcao, com 47 votos.

Sendo a segunda equipa a seguinte:
Guarda-Redes - Quim/Eduardo
Defesa Direito - Rúben Amorim, com 27 votos.

Defesa Esquerdo - Evaldo
Centrais - Bruno Alves e Carriço, com 18 e 8 votos, respectivamente.
Trinco - Fernando, 13 votos.
Médio Esquerdo - C. Rodriguez, 6 votos.
Médio direito - Varela, 15 votos.
Nº10 - Carlos Martins, 17 votos.
Avançados - Cardozo (36) e Hulk (11).

Assim sendo, escolhemos os 5 jogadores com mais votos para que possamos eleger o Jogador do Ano da Liga Sagres 09/10:
David Luiz
Di María
Javi García
Falcao
Saviola

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Empate


A Selecção de todos nós empatou hoje a zero com Portugal. Parabéns, malta!

Adeus Moreira


Tinha 4 temas diferentes previstos para hoje, por isso talvez haja mais um post logo à noite. Não sabia sobre qual deles escrever. Até que vi uma notícia sobre o Moreira que me fez optar por este tema. Ontem foi o seu último jogo pelo Benfica. O último jogo daquele que, para mim, é o melhor dos 3 guarda-redes do plantel actual do Benfica. Mas não é para discutir as qualidades - que, goste-se ou não, são imensas - do Moreira que faço este post. Faço-o para mostrar que há memória.

E o Moreira já se tornou muito mais que um jogador, muito mais que um guarda-redes do Benfica. O Moreira foi, durante anos, o menino maravilha do clube. Foi aquele que durante aqueles anos de constante aperto no coração por causa das horríveis equipas que o clube tinha nos salvou e nos fez sonhar. Estava destinado a ser o Casillas do Benfica até que... se lesionou. Passou um enorme calvário - qual Pedro Mantorras - e quando finalmente um treinador decidiu apostar nele e escolhê-lo para titular... lesiona-se novamente!

E eis que os benfiquistas acabam por perder um guarda-redes da casa, que era mais uma extensão dos adeptos ao terreno de jogo. Por isso eu digo: haja memória. Moreira sempre teve um comportamento exemplar. Sempre provou que tinha qualidade. Na pré-época deste ano conseguiu estar em grande forma e levar a melhor sobre os concorrentes directos (Quim e, na altura, ainda o Moretto). Depois de ter feito uma fantástica pré-época, na qual os seus colegas de posição deram os chamados frangos, eis que Moreira recebe o prémio: fica a terceiro guarda-redes da equipa. É das poucas mágoas que tenho, das poucas coisas que Jesus fez que acho erradas.

Moreira acaba este ano o contrato. Parece que é o adeus definitivo ao Benfica que, verdade seja dita, nunca o tratou como merecia. Mas os benfiquistas têm memória. Já se diz que Moreira vai para o Sporting e para o Porto, que vai para o estrangeiro... e eu digo que mesmo que isso aconteça sempre torcerei por que tudo lhe corra bem na sua carreira. Porque durante quase toda a infância foi a pouca luz que emanava da equipa do meu coração. E isso não se esquece.

De vermelho, verde ou azul, Moreira será sempre Benfica. Tenhamos memória.

domingo, 23 de maio de 2010

O sonho de um poeta vivo


"Se ele vai eu também vou" - era o que eu gostava de ouvir numa situação extrema. 

Durante anos fui aluno de uma turma onde fiz amigos fantásticos. Faziamos coisas que na altura pareciam graves, que faziam com que os bons professores nos adorassem e os maus nos odiassem, que tornavam as más aulas nas mais divertidas, mas nas aulas boas ouvíamos atentamente o que os professores diziam. Em suma, éramos uns bons rebeldes: fazíamos trinta por uma linha aos maus professores e respeitávamos e admirávamos (assim como ainda hoje admiramos) os bons. Mas isto sempre nos causou problemas. Mesmo a mim, que era um dos santinhos da turma...

Muitas vezes alguns alunos passavam das marcas e o que se ouvia era um invariável:
- Arménio Miguel, já para a rua!

E lá ia o Arménio todo divertido e nada preocupado. Talvez por isso, talvez por receio, talvez por saber que ele ia para a rua por, de facto, ter ultrapassado as marcas, nunca chegámos ao ponto em que se ouvia a frase:
- Se ele vai eu também vou!

Imaginem o fantástico de uma situação em que a professora expulsa injustamente o Arménio. E, então, lá se ouvia o tradicional:
- Arménio Miguel, já para a rua!
E me levanto eu e digo:
- Professora, se ele vai eu também vou.
- Então vai. Rua, Mau!
E depois se levantava o Marco e dizia:
- Mas se ele vai eu também vou.
- Rua tu também!
E depois o Duarte, o Filipe, o Jorge, a Maria, a Inês, a Filipa, os Pedros...
- RUA RUA RUA! TODOS PARA A RUA!

E quando ia a dar por ela a professora tinha a sala vazia.

Bem sei que não está correcto. Mas é assim que eu gostaria que tivesse sido algumas vezes. Gostava de um dia poder contar isso aos meus filhos. Haveria maior prova de amizade?

Mourinho (apenas algumas horas depois)

Simbiose perfeita, ou não haverá espaço suficiente para os dois e um terá que morrer?

Uma das duas fará correr (ainda mais) rios e rios de tinta para o ano. Para já, o que é quase certo é que José Mourinho, El Especial, se mudará para Madrid. O próprio admitiu no final do jogo desta noite estar farto de Itália, e querer treinar o Real:

«Vou deixar o Inter. Estou farto de Itália. O ano que vem vou treinar o Real Madrid. Ainda não falei com ninguém, mas sei que existe interesse do Real Madrid e é verdade que também estou interessado.»



O que vai sair daqui? Não faço ideia. Mas se sair bem, imaginem o quão espectacular vai ser ver o José Mourinho olear a máquina que conta com parafusos como Kaká e Van der Vaart, calços como Pepe e Sérgio Ramos, porcas como Casillas e pregos como Benzema, Híguain e Cristiano Ronaldo?

Pode ler a notícia do site A Bola aqui:

sábado, 22 de maio de 2010

Mourinho


Inter campeão europeu. Parabéns ao Mourinho que mostrou hoje porque é o terceiro melhor treinador do mundo. De facto, só não o trocava pelo Jorge Jesus e pelo David Luiz a treinador. Fora estes dois é o melhor.

Ah... e alguém que dê uma malha ao Maradona ou que pelo menos o faça largar a droga. Porque deixar de fora Cambiassos e, principalmente, o Senhor Javier Zanetti para levar Bolattis, Palermos e afins só pode ser resultado das drogas que ele anda a consumir...

Nike: Write the future

Há algum tempo postámos aqui alguns reclames da nike que marcaram a nossa infância. Aqui está o mais recente. Para mim é dos melhores jamais feitos.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Como superar a crise?

Momentos que passam... mas que não devem ser esquecidos (nem omitidos)


Vou usar poucas palavras para dizer o que queria. Mais do que fazer uma crítica quero chamar a atenção para o que se passou durante a última Serenata. Optei por não fazer a crítica  não por achar que não mereça ser criticado, mas sim porque isto já começa a ser tão abandalhado que basta ouvir, sem que sejam necessárias palavras a dizer mal do que aconteceu. O som e as imagens são a pior crítica se pode fazer, mesmo sem nada dizer.

Podem ver aqui* os APLAUSOS à Balada da Despedida. Muita emoção? Sim, é certo. Mas caramba, não tarda vamos fumar charros enquanto ouvimos "uns dreads a cantar a balada"! Haja respeito. Pelo menos nisto...

*[Podem ouvir a Balada da Despedida a partir de 01:12:28 ou ouvir só os aplausos a partir de 01:16:40]

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Vilas Boas no FCP

E conseguimos dar a notícia antes mesmo do Record e da A Bola. Haja gente genial à frente deste blog. Opiniões?

Enapália 2010, por Rennie


Vivemos num país que bateu todos os records históricos de desemprego. Mas continuamos a ser «representados« por cerca de 300 parasitas parlamentares (salvo algumas excepções) pagos principescamente e sujeitos de regalias obscenas.

Estamos à beira da falência. Mas mantemos 18 governos civis, autarquias e juntas de freguesia desnecessárias, ministérios desnecessários (já alguém reparou que temos um Ministro para os Assuntos Parlamentares?!), dezenas e dezenas de empresas públicas e comissões regionais, de turismo e afins, tudo isto, simples ninhadas de acolhimento de filhotes políticos.

O governo xuxa anuncia aumento de impostos, primeiro por seis meses, depois até 2011, agora até 2013, mas com a possibilidade de se manterem até «haver necessidade». No entanto o mesmo governo mantém os projectos de construções faraónicas que não podemos pagar, como o tgv até ao Poceirão (!!), o novo aeroporto, a terceira travessia do Tejo e mais umas quantas auto-estradas, tudo, como é fácil de prever, em alegre derrapagem, tudo concessionado aos mesmos eternos suspeitos do costume.

Temos uma escola pública completamente de rastos que precisa de reformas urgentes (que não as sucessivas e irresponsáveis aberrações levadas a cabo pelos governos xuxas). Mas em vez disso o governo diverte-se a dar magalhães aos putos para que estes se entretenham a jogar o Fifa 2010.

Temos uma lei muito moderna e avançada que institui os casamentos homossexuais. E,ao mesmo tempo, há um portugal serôdio e ultramontano que penaliza profissionalmente uma professora que se posou, quase nua, para as páginas da Playboy.

Todo este aparato, toda esta aberrante inadequação entre o fundo e a forma, entre a imagem e o substracto que são hoje a essência do Portugal xuxialista, não podiam ter encontrado melhor símbolo que o primeiro ministro: fato Armani por fora, mas meias rotas e cuecas sujas, por dentro.

Pic da capa do álbum Enapália 2000 dos imortais Ena Pá 2000.

Post retirado do Tapornumporco

terça-feira, 18 de maio de 2010

Um vintém é sempre um vintém...

A reacção foi a prevista. Hordas e hordas de defensores da Académica apareceram a comentar: uns (poucos, muito poucos) de forma coerente, outros (muitos, muitos mesmo) nem tanto. Ainda assim um blog vive de polémicas, de discussões, de comentários...

E é por isso que tenho de agradecer as opiniões de todos. Porque isto andava muito morto (graças à Queima, mas não só) e renasceu mais uma vez. Mas não é só por isso que vos agradeço. Há um comentário que, em especial, me chamou a atenção: 

Anónimo disse...
Só Ni-gas! 
17 de Maio de 2010 20:08

E eu dei por mim a pensar: e não é que é verdade?! Muitos dos que acompanham o blog duvidam da existência de um Ni-ga! em carne e osso, de um Teixeira verdadeiro, de um Cláudio Ramos como o que cá andou (será que ainda anda?)...
Achavam que era tudo invenção de alguém. De uma qualquer pessoa que se fazia passar por eles. Mas este post trouxe aos olhos de todos que isto existe. Aqui. Bem próximo de nós.

Por tudo isto, bem-hajam todos os que se deram ao trabalho de ler o meu post anterior, de o comentar e de entrar em discussão.

Muito obrigado e voltem sempre!

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Como matar a Académica


Desde criança que me digo adepto do Benfica e simpatizante da Académica. E desde criança que ouço os meus amigos e colegas a dizerem que são do Porto e da Académica, do Sporting e da Académica. Há um, dois, talvez, que sempre foram da Académica e SÓ da Académica.

De entre o meu grupo de amigos (sim, esses mesmos que são do Benfica, do Porto, do Sporting ou até do Braga e da Académica) quase todos sabiam as músicas da Académica, muitos iam ver os jogos em casa, uns 10 eram sócios. E, provavelmente, cada um desses 10 sócios tinham um pai, também ele, sócio da Académica e adepto de outro clube. Já vamos em 20 sócios que não são adeptos exclusivamente da Académica. Mas iam ao Estádio, fosse ao Calhabé, ao Sérgio Conceição ou já ao Cidade de Coimbra e torciam pela Académica, sofriam por ela e eram os primeiros a participar naquelas saborosas invasões de campo aquando dos festejos. E pagavam as quotas. Sim, pagavam! E os que não eram sócios pagavam os bilhetes!

Gostava da Académica e sentia-me bem. Apenas enquanto muito jovem acreditei na Académica poética, na equipa dos doutores. À medida que fui crescendo e a ingenuidade foi diminuindo fui-me apercebendo de que isto tinha acabado. Não critico. É óbvio que, nos dias de hoje, não podemos ter uma equipa de estudantes na primeira divisão nacional. O futebol está demasiado profissionalizado para que isso aconteça. No problem! Gostava da Académica na mesma. Era a minha cor, era a equipa da minha cidade. Os adeptos (achava eu) eram diferentes. Toda a gente gosta da Académica, não é o que se diz? E essa era uma enorme vantagem...

Acontece que, e esta é a principal razão por que escrevo este post, esta enorme vantagem sofreu grandes ataques. Isto, porque na opinião de alguns iluminados ter mais do que um clube é algo de gravíssimo.

"És do Benfica, do Porto, do Sporting, ...? Então não podes ser da Académica! Sim, porque o verdadeiro academista é SÓ da Académica. E a Académica é diferente, porque é o clube dos estudantes. O clube dos estudantes de Coimbra e de fora, o clube de todos os licenciados, dos Doutores! É um clube de elite."

Como tal, parece que hoje em dia para se ser da Académica não posso ser do Benfica. Sim, sim, eu sei. O anti-benfiquismo é tão grande que esta polémica quase não existiu enquanto o clube não foi campeão. Este ano, muitos desses auto-denominados "grandes academistas" não conseguiram disfarçar que já nem os adeptos são diferentes dos dos outros clubes: continuam uns anti-benfiquistas primários.

Quando confrontados com este facto, a reacção é geralmente esta: "Claro que não podes ser da Académica e do Benfica. Se te revês nos valores do Benfica não te podes rever nos da Académica, o clube dos doutores". Eu sei, eu sei... é um clube de elite! Só apoiando o Dr. Berger, o Dr. Lito e o Dr. Sougou poderei sentir os verdadeiros valores da Académica. Só sendo como estes "grandes academistas" posso torcer por esta equipa diferente. Mas será que esta gente não entende que os clubes vivem de paixões irracionais? Porque sou do Benfica? Sei lá! Sempre fui. É clubismo puro, não tem a ver com os princípios. Sou do Benfica assim como os adeptos do Porto não deixam de ser do Porto por ouvirem as escutas do Apito Dourado e não é por isso que são corruptos. Gostam do clube e defendem-no. Ponto.

E porque sou, então, da Académica? Isso é diferente. Desde pequeno me habituei a ir ver os jogos e a viver esta camisola. Mas grande parte dos adeptos da Académica tem uma história diferente: são-no porque vieram estudar para Coimbra e acabaram por se afeiçoar ao clube. Provavelmente muitos vieram de fora e, portanto, chegaram a Coimbra já com outro clube no coração antes mesmo de o partilharem com a Académica. Isto justifica que a briosa seja uma paixão tardia e, daí, não exclusiva. E acham mesmo que o facto de a paixão pela Académica não ser exclusiva prejudica assim tanto o clube? Não. Só o beneficia. Torna-o um clube de que todos gostam. Ou tornava, até haver este movimento dos "grandes academistas" que querem uma Académica só ao alcance daqueles que a amam a ela única e exclusivamente. E depois os novos estudantes de Coimbra sentem que não é o clube acolhedor que, por tradição (essa que os "grandes academistas" tanto defendem) sempre foi.

Não tenho de explicar que são estes adeptos iluminados, estes "grandes academistas", que me afastaram a mim e a muitos dos meus amigos do clube, pois não? Não tenho de explicar que considero estas reacções uma falta de inteligência assinalável, pois não? Não tenho de dizer que muitos já não são sócios, que já quase nenhuns (haverá algum?!) sabem as música da Académica e que muitos poucos vão ao estádio, pois não?

Não tenho de dizer que, com grande tristeza minha, cada vez mais vejo a Académica como um clube igual aos outros. Não tenho de dizer que se os novos estudantes de Coimbra se sentissem bem ,como outrora sentiam, o Estádio estaria bem mais composto - sim, que eu ainda me lembro de ir, criancinha, ver os jogos ao Calhabé debaixo de chuva torrencial e de ver o estádio cheio de capas negras. Não tenho de dizer que são os "grandes academistas" que, cada vez mais, destroem a Académica. Não tenho de dizer que é por (ainda) gostar muito deste clube que escrevo este post. Mas também não tenho de dizer que não tenho a mínima esperança de que estes auto-intitulados "grandes academistas" abram os olhos e mudem o seu comportamento...

PS: Sei que o post vai doer a muitos. Sei que por ser benfiquista e academista (sim, ainda o sou) ao mesmo tempo não tenho direito a opinião. Mas a Académica de que eu gostava está a morrer. E eu tenho o direito de lutar por ela. Ou pelo menos, tenho o direito de abrir os olhos a uns "adeptos diferentes" que cada vez se assemelham a uns quaisquer do Benfica, Porto, Sporting ou mesmo... do Guimarães. Vejam este post como o grito de revolta de alguém que, apesar de tudo, gostava que o tempo voltasse atrás.

domingo, 16 de maio de 2010

O 11 ideal


Convido todos os presentes a votarem do lado direito do vosso ecrã no 11 ideal deste campeonato português de 2009/2010. A votação durará uma semana.

Não querendo influenciar alguém, não posso deixar de deixar aqui o meu 11 ideal:
Guarda-Redes: David Luiz a jogar a guarda-redes.
Defesa: David Luiz a jogar a defesa direito, David Luiz e Luisão e David Luiz a jogar a defesa esquerdo.
Meio Campo: David Luiz a trinco, David Luiz a interior direito, Di María e David Luiz a nº10.
Avançados: David Luiz a jogar a ponta-de-lança e David Luiz a jogar atrás do ponta-de lança?

Melhor que isto? Só mesmo se tirássemos o Luisão e metêssemos o David Luiz a fazer dupla de centrais com o David Luiz...

sábado, 15 de maio de 2010

Momentos que passam, saudades que ficam...

E não, não é da Queima. Nunca pensei voltar a divertir-me tanto num jantar quanto no do ano passado em casa do Dono dos Tecidos. Viver esta cidade convosco será sempre especial.

 Às granadas! Aos tsunamis! E a todos vocês que tanta falta me farão durante a minha aventura brasileira...


video

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Quando o "maior clube do mundo" tenta fazer sombra à maior academia do mundo

Sublinho, escrevo, reescrevo, o que vocês quiserem.

Aqui têm a minha opinião sobre o cortejo das queimas das fitas da academia Coimbrã, expressa pelos dedos de José Eduardo Ferraz, grande academista que escreve no blog pardalitos do choupal.

"O Cortejo

A Queima fez 30 anos, deste que em 1980 se reinstaurou novamente a praxe.

Ontem mais uma vez com alguns colegas e amigos fui assistir ao Cortejo. Desde 1982 que, tirando o de 1987 em que estava na Escola Prática de Cavalaria, o faço. Primeiro como Estudante da Faculdade de Ciências e Tecnologia depois como antigo estudante.

Meus caros tenho assistido in loco, ao degradar do desfile dos quartanistas( já nem sei se ainda se chama assim...). No entanto o que vi ontem ultrapassa todas as marcas.

Vi estudantes de capa e batina com cachecóis de clubes rivais, numa afronta e numa falta de respeito pelo que vestiam na altura, denotando uma ignorância e uma boçalidade inimagináveis para alunos de uma Universidade heptacentenária.

Vi estudantes de capa e batina a despejar uns sobre os outros todo o tipo de líquidos que estivesse mais à mão, importando "costumes e tradições" de escolas sem Tradição alguma.

Vi incrédulo, dois estudantes ( um rapaz e uma rapariga), rasgados no meio do Cortejo. Será que as nossas faculdades também já licenciam ao Domingo? Não quero acreditar...

Vi três rapazolas ( duvido que fossem estudantes), carnavalescamente trajados. Um de padre um de coelho e outro de escocês. Mas que é isto?

Vi carros em que os estudantes ao invés de desfraldarem orgulhosamente aos suas fitas, empunhavam cachecóis e bandeiras de outros clubes, que não a Associação Académica de Coimbra. Estes infelizes, para não usar um nome pior, nem se quer se aperceberam em que desfile estavam a participar.

Não pode ser.

Está na hora do Conselho de Veteranos pôr mão nestas coisas. antes que alguém meta por eles.

Há que reunir com os carros que vão desfilar e esclarecer em que é que vão participar.

É que os antigos estudantes começam a ficar fartos de verem o Cortejo ser enxovalhado todos os anos.

É tempo de dizer BASTA."

Uma vergonha!

Estudo em Barcelona e sou de Coimbra. Sempre foi o meu desejo e o meu sonho estudar em Coimbra, mas infelizmente sonhos mais altos se levantaram e não se pode ter sempre tudo. Assim, revolto-me em vir a Coimbra assistir ao Cortejo dos quartanistas e deparar-me com esta situação.

Se eu estivesse em Coimbra defenderia os ideais com que cresci. Como não estou, peço a quem leia este post e que se sinta em condições de fazer algo, para que mude o sentido em que a academia vai.

Isto não pode seguir este rumo!



VERGONHA!

Está na altura do conselho de veteranos fazer algo! E se não consegue que salte e que venha outro!

VERGONHA!

terça-feira, 11 de maio de 2010

Haja Paciência para aturar o Domingos...

Aquele anormal ainda teve lata de dizer: "Ambos perdemos no Dragão. O Benfica perdeu cá e nós na Luz. O jogo que fez a diferença foi o de Guimarães em que nós perdemos, não tivemos perto de o ganhar e o Benfica venceu com uma falta inexistente e já depois da hora".
 
Ora, em suma, o Benfica foi campeão graças a uma falta que não existiu. Não quero discutir quem foi mais ou menos beneficiado - todos foram, a certa altura. Mas se há alguém que não vê o Coentrão a ser puxado no lance do título (segundo o Paciências) só pode estar cego de raiva...
 

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Tal como prometido ( ja estou a escrever mais do que devia). JESUS...SOMOS CAMPEÕES!

Tal como pediram aqui vai um post sobre Jesus.
Jesus assinou por dois anos mais um de opção. Pessoalmente, não sou um fã de Jesus. Sou católico, mas não praticante. Acessoriamente tenho alguma dificuldade em acreditar numa figura que, para mim, é ridícula.

Temo profundamente que Jesus contrate agora (S.) Mateus. Por outro lado prevejo uma maior aposta no S. Pedro (Mantorras) e um maior aproveitamento do patrocínio: o Espírito Santo.

Bem, agora falando mais a sério... Deixo-vos algumas frases de Jorge Jesus tiradas do Maisfutebol:
"«O fair-play é uma treta». Esta é, talvez, a mais famosa frase de Jorge Jesus, proferida quando o agora treinador do Benfica estava no Belenenses, e repetida ainda esta época. Porém, «JJ» é um técnico conhecido por outras tiradas famosas. O Maisfutebol recorda-lhe algumas, como, por exemplo, o duelo com Bernd Schuster.
A equipa de arbitragem não deixa. Como resolvo isto? Só resolvo na «playstation»! Não nos deixaram chegar perto do F.C. Porto, Sporting e Benfica
Em Janeiro deste ano, após a derrota frente ao Benfica

«Com essa equipa dava-lhe 3 de avanço, mudava aos 5 e acabava aos 10»
Em Agosto de 2007, após o Belenenses perder por 1-0, com o Real Madrid, no Troféu Teresa Herrera e dirigindo-se ao treinador dos espanhóis, Bernd Schuster

«Também posso dizer que, com aqueles jogadores, aquilo (exibição) foi muito poucochinho»
Na mesma conferência de imprensa, respondendo a Schuster, que acusara o Belenenses de ser defensivo

«Todas as equipas que jogam contra o Braga sabem que não atiramos a bola fora por fair-play. Foi assim no Belenenses, será no Braga e noutros clubes onde trabalhe. O fair-play é uma treta.»
Em Agosto de 2008, antes do jogo com o Sporting

«Não sei o que é jogar para empatar. Já tentei entender, mas não consigo.»
Alguns meses mais tarde (em Dezembro de 2007), curiosamente antes de um jogo com o Benfica

«O terceiro golo [penalty] surge de um lance que está na moda. Os treinadores têm de passar a contratar jogadores manetas»
Olhando para trás, encontram-se mais passagens marcantes. Jorge Jesus era treinador da União de Leiria e perdeu por 0-3 com o Marítimo. O terceiro golo surgiu de grande penalidade

«Quero aproveitar para dedicar esta vitória a todos os motocards da Amadora que vieram até aqui»
Jorge Jesus tem muitos anos de carreira. No Estrela da Amadora não se esqueceu do apoio que um grupo especial lhe dera.

«Estamos a tratar do processo de neutralização do Verona»
A propósito do excesso de estrangeiros no plantel do E. Amadora, uma frase na linha de outra, sobre o processo de renovação de um jogador: «É um assunto do forno interno do clube». Ainda outra: «Vítor Vieira é o prótipo do jogador moderno.»

«Vaiam à bola! Subem!»
Incentivos clássicos de Jesus à equipa, durante os treinos ou em jogos"

Isto é verdade, sim. Foi "isto" que o Benfica acabou de contratar. E apesar de esperar que não se verifique na realidade, deixem-me fazer uma previsão:

No fim desta época Jesus será despedido. Aí, olhará para o céu e fará a pergunta: "Pai, porque me abandonaste?"

12 SELVAGENS JÁ COMENTARAM:

JDias disse...
Noticias de hoje:
-Marcel e sepsi voltam ao benfica
-Luis Filipe acredita que JJ lhe vai dar uma oportunidade, concerteza que vai.

Ah e cissohko nao vai para o milan por causa dos seus dentes.

Incrivel

17 DE JUNHO DE 2009 15:42
Anónimo disse...
mais incrível ainda é haver algum clube que tenha interesse no Tonel ou no Pedro Silva.


Imaginem o JJ a chamar nomes ao Reyes ou ao Aimar como fazia com os seus jogadores nos outros clubes.

17 DE JUNHO DE 2009 15:53
DiogoDigas disse...
lool ja li essa noticia sobre o cissohko, é ridiculo.Ou entao nao. Se calhar nunca soube o que era uma escova de dentes x)

17 DE JUNHO DE 2009 15:59
JoaoMoutinho disse...
Jesus é do sporting. É socio e tudo!

Bem, seis pontos ja cá cantam :)

MATIAS FERNANDEEEEZZZ :D

17 DE JUNHO DE 2009 16:30
Ranhoca disse...
Com tantos motivos para pensar que a próxima época do benfica vai ser para esquecer começo a acreditar que vamos ser campeões!!

Normalmente com o benfica funciona assim. Sempre a superar as expectativas!! (mas de modo contrário)

Por ti Jesus, vou até Fatima (mas de popó :P )

17 DE JUNHO DE 2009 17:28
argolinhas disse...
para o ano venho aqui para procurar este post e vou escrever 3 palavras "JESUS..somos campeoes!"

17 DE JUNHO DE 2009 20:48
Ranhoca disse...
argolinhas,

podes ter a certeza que também o irei fazer!! :D

17 DE JUNHO DE 2009 21:46
El Gordo disse...
eu escrevo: JESUS... somos PENTACAMPEÕS!

17 DE JUNHO DE 2009 21:53
El Gordo disse...
*pentacampeões

17 DE JUNHO DE 2009 21:54
Mike disse...
Jesus: «Vou ser campeão nesta casa»

Campeão de Inverno? Campeão da pré-época? Torneio Guadiana 2009 que nem conta com o SCP já cá canta. Com "sorte", ainda ganhas uma Taça da Liga como o Quique.

No final da época, já estás neutralizado [«neutralização do Verona», lol] pela direcção, provado pelas passagens dos 13 treinadores do SLB durante os últimos 9 anos, com LFV a mandar há 8 anos!!!

17 DE JUNHO DE 2009 23:17
Mau-r-à-dona disse...
Eu bem que gostava, argolinhas e ranhoca...

Que falta nível ao Jesus (Jorge) falta... mas pode ser que se porte bem como treinador...

Infelizmente... duvido! :/

18 DE JUNHO DE 2009 02:29
Anónimo disse...
Olá,

pois para mim a melhor dele é mesmo: sou a Paula Rego do football.

gosto do teu espaço.

Elsa

domingo, 9 de maio de 2010

E agora grite-se!


Benfica campeão. Milhares de posts surgirão com o meu cepticismo inicial em relação ao Jesus. Agora estou convertido.

Mas sabem o que é que eu festejei como se fosse um golo? Esta frase do David Luiz: 
"Vou ficar."
E agora grite-se, que o Benfica é campeão!

quinta-feira, 6 de maio de 2010

E, agora, silêncio

Não podiamos começar a Queima sem o tradicional vídeo, pois não? Até Domingo! Cá estaremos a festejar o título ;)

terça-feira, 4 de maio de 2010

A Leirosa, por Marsápio


Disseram atrás que o Praia da Leirosa merecia post. Pois eu sou eu a ter a honra de fazer um post sobre este fantástico tema.

O Praia da Leirosa é uma equipa da Distrital de Coimbra. Acontece que, e estou a falar da Divisão de Honra, ao contrário do que eu imaginava as equipas são bastante respeitadoras. Ainda assim, como em todo o lado, há excepções que - sabe-se - confirmam a regra. Uma dessas excepções é o Marialvas. A outra é o Clube Recreativo da Praia da Leirosa. 

Conta quem já lá foi que as tardes de Domingo nessa terra são altamente animadas. A malta reúne-se toda no campo, homens e mulheres, e vão apoiar a sua equipa ao seu pelado que tem um cheiro bastante característico. As condições são as mesmas de quando lá fui há 10 anos atrás. E, provavelmente, as mesmas - embora, hoje, num maior estado de degradação - que eu encontraria se lá tivesse ido há 30 ou 40 anos atrás. Mas não é isso que marca aquela equipa...

Os jogadores do Leirosa... ah, os simpáticos e bem tratados jogadores do Leirosa! Ora, vou evitar descrevê-los por uma simples razão: tenho medo. Não que haja razões para isso. Porque fora o facto de um me ter dado uma cabeçada num amigável porque eu o puxei (palavra de honra que só lhe puxei a camisola) não tenho razões nenhumas de queixa. Até porque foi a única vez que joguei contra eles este ano. As únicas coisas que posso dizer sobre aquela equipa é que o único pré-requisito para entrar na mesma é poder ser identificado na rua como mitra e ameaçar tudo o que mexe. Depois, dentro de campo, cabe-lhes dar porrada em tudo e em todos e ameaçar os adversários dizendo:
"Primo, eu conheço-te. Vais ver que qualquer dia apareces numa valeta!"

Ah, sim! Já me esquecia de explicar... para aqueles jogadores todas as frase começam por "Primo,". Deve ser um pouco à imagem do senhor do Gato Fedorento que tratava toda a gente por Sr. Vítor, para facilitar. Ali todos são primos. Os colegas de equipa e os adversários.

Para além dos jogadores há ainda o público: gente de todas as idades e de ambos os sexos que vão ao campo para fazer do futebol uma festa. Como todos sabem, a festa fica muito mais completa se existirem agressões, sangue, refugiados, cânticos bonitos e frase poéticas como a que me recuso a reproduzir, deixando-a à vossa imaginação - tudo o que digo é que a mulher do guarda-redes lhe prometia orgulhosamente e em altos berros qualquer coisa. Nem eu, Marsápio da Conceição, sou javardo o suficiente para a reproduzir por escrito. Mas a senhora gritava-a para gáudio de todos os presentes! E não venham dizer que é uma aldeia de pescadores a quem nada mais se pode pedir. Isto porque bem perto, na Gala, há outra equipa (que, por acaso, também desceu de divisão) que sabe o que interessa num jogo de futebol, ainda para mais entre equipas amadoras. Uma palavra de apreço, assim, para a equipa do Cova-Gala.

É um pouco por tudo isto que se sabia que no último e decisivo jogo do campeonato 90% dos acompanhantes da Divisão de Honra torciam pelo Poiares, por oposição ao Praia da Leirosa. O resto das pessoas eram do Poiares para não premiar o Leirosa um pouco por tudo aquilo que referi. Mas eu, tal como o anónimo do post anterior referiu, torcia pelo Poiares porque desde o início do campeonato eu defendo que uma equipa com jogadores com estes nomes tem de ser premiada. Não sei quem são e não sei as suas posições em campo. Mas já viram o que era jogar com uma defesa composta por Tuca, Sabino, Chiolas e Fifi, um meio campo com Carlão, Breda e Matado e um ataque com Rato, Morsa e Nando Zé?!

Aposto que agora conseguem partilhar a minha felicidade, tal como a do Chiolas, do Morsa e do Sabino, ao saber que o Poiares conseguiu a manutenção...

Cliquem aqui se quiserem ver o vídeo do jogo da primeira 
volta entre Leirosa e Poiares na Liga dos Últimos (a partir do minuto 11)

domingo, 2 de maio de 2010

Parabéns!


Tal como tinha dito, hoje haveria post qualquer que fosse o resultado. Portanto, queria dar os parabéns ao Poiares que hoje venceu o Praia da Leirosa, mantendo-se na Divisão de Honra e mandando os outros para 1ª Divisão Distrital.

Um outro olhar sobre o futebol

 

Chamem-me pessimista, mas hoje temo o pior. Veremos até que ponto este dia será ou não de festa. E independentemente de quem ganhe, será de festa se não houver mortos nem feridos. Ontem o autocarro do Benfica foi recebido com pedradas. A reacção, no site do clube foi: "Para aqueles que querem fazer deste jogo de futebol algo que ele não é, a nossa única resposta dever ser a indiferença".

Infelizmente há muita - demasiada - gente a ver no futebol uma guerra e em cada jogo uma batalha. Amanhã, para muitos, será A batalha. É triste que um adepto não possa ir ver a sua equipa porque tem medo. E acho que isso só seria possível com castigos muito mais duros para os adeptos. Com câmaras apontadas a eles de forma a que pudessem ser facilmente identificáveis. Já que não podemos contar com o bom-senso humano, que se conte com o medo de uma prisão. Se é preciso isso para que o futebol se torne na festa que ser, que o façam. Seria triste haver um título vermelho não só pelo Benfica, mas também pelo sangue que se prevê.

Como adepto de futebol e principalmente como adepto da FESTA que deve ser o futebol, desejo que seja um jogo fantástico hoje à noite. Se tudo correr pelo melhor certamente que cá poderão passar depois do jogo para festejar - qualquer que seja o resultado.

Ainda assim, não posso deixar de dizer: com a reacção que teve aos ataques de que foi alvo, o Benfica será sempre o vencedor. E mesmo que não ganhe o campeonato já hoje... lá terá o Cortejo da Queima das Fitas muito menos gente no próximo domingo!

sábado, 1 de maio de 2010

Estou um velho nostálgico e falo sobre futebol, estudos e... Rol

Estou velho! Dói-me o joelho, dói-me parte do antebraço. Dói-me a parte interna de uma perna e parte amiga da barriga, que fadiga...
Não sei bem até que ponto a geração de 90 reconhece este pedaço de letra de uma música. Foi cantor que entrou em desuso, bem sei... mas isso agora não interessa nada. O que eu sei é que, do alto dos meus 19 anos começo a sentir que estou velho. Porquê? Já lá vamos...
O primeiro dos sintomas, ao contrário do que diz o excerto que serve de mote ao presente texto, não foram as dores no joelho, na perna ou na barriga... até porque essas já me acompanham desde criança! O primeiro factor traumatizante foi o futebol. Quando chegamos a uma fase onde começam a aparecer jogadores na televisão que têm a nossa idade ou até que têm um ou dois anos a menos que nós, logo sentimos o peso da idade a vergar-nos mais um pouco. E pior fica a situação quando vemos pessoas que só por acaso não foram nossas colegas de equipa a jogar a titulares em equipas da primeira liga. Aiai, como me dói o joelho...

Passemos ao segundo factor de velhice: Bolonha. Sim, o Tratado de Bolonha tende a tornar os estudantes velhos. Quem diria que ao fim de dois anos de curso só me fica a faltar mais um para ter uma licenciatura e começar logo a trabalhar. Chego ao mercado de trabalho com 21 anos e... VELHO! A vontade que dá é ficar mais alguns anos a estudar. Quanto mais não seja a estudar o que hei-de fazer para conseguir aproveitar um pouco mais esta velhice ainda precoce, porque para velho chegar-me-á a fase em que a idade no BI me obrigue a nunca mais olhar para mim como um jovem. Sei que estão a roubar qualificações a quem tem mestrados, licenciaturas e doutoramentos de anos e anos. Mas - posso ser o único - preferia que não roubassem nada a ninguém. Não havia Bolonha, as etapas continuariam as mesmas e não se fariam 10/12 cadeiras por ano. A malta mais velha esquece-se que a pressão para fazer tudo a correr também não nos agrada. Tira-nos anos de vida. E o pior é que acho que ainda por cima saímos bem pior preparados do que os nossos pais... dói-me mesmo parte do antebraço.
Passando agora ao lado que mais velho me fez sentir. O do Rol. Muitos de vocês nem saberão o que é o Rol. Mas eu sei. E bem. O Rol é um gelado que eu comi algumas vezes enquanto criança - há umas valentes centenas de anos, portanto. Quando o descobri fiquei maravilhado. Era algo diferente do que tinha provado. Até porque tudo o que comia até então eram Cornettos de Chocolate, Super Maxis... tudo o que metesse chocolate! E o Rol abriu uma nova gama de sabores na minha curta vida. Mal eu o descobri... ele saiu do mercado. E fiquei durante todos estes anos a lamentar a perda de um sabor da minha infância, tal como o faziam os meus pais e avós. Que dores na parte interna de uma perna e parte amiga da barriga...

Acontece que este ano reapareceu o grande Rol entre os cartazes de gelados da Olá. Fiquei entusiasmado e... desconsolado. Por um lado tinha a oportunidade de recuperar aquele sabor a futebol de manhã à noite, aquele sabor aos dias de praia, de piscina, às festas da primária. Por outro lado surgia uma grande questão: até que ponto esse sabor não me teria ficado gravado mais no coração do que na razão? Será que o sabor se mantinha como eu o imaginava? Ou tinha sido um gosto aperfeiçoado e temperado por longos anos sem o poder sentir, um sabor a saudade, mais do que a um gelado?

Foi, portanto, a tremer que pedi um Rol e decidi prová-lo. Logo me apareceu um sorriso nos lábios. Vi-me sujo de terra, cheio de nódoas negras e de feridas a jogar futebol e a brincar com os meus amigos de infância. Parece-me que, apesar da velhice, encontrei o Elixir da Eterna Juventude...

PS: Espero que a Olá saiba agradecer monetariamente a quem tanta e tão boa publicidade lhe faz.

Publicidade

Para efeitos legais é importante explicar que o nosso site usa uma Política de Publicidade com base em interesses.