sábado, 19 de fevereiro de 2011

Geração à Rasca


Nasci em 1990. Tenho 20 anos e já não sei a que geração pertenço.

Lembro-me de, algures nos primeiros anos do novo milénio, ouvir uma professora dizer numa aula que pertenciamos à "geração rasca". A partir dos meus 11 anos acreditei, pois, que pertencia à essa geração. Sorte a minha... ainda não tínhamos tido tempo para fazer nada e já este rótulo me era colado.

Mais tarde apercebi-me que tudo aquilo tinha sido um erro da professora. A geração rasca não era a minha e, afinal de contas, eu pertencia à "geração morangos", em referência aos Morangos com Açúcar. Ridícula e inútil, portanto...

Entre uma infinidade de nomes para a minha geração, surgem agora os de "geração sem remuneração" e de "geração à rasca". É um facto. Estamos "à rasca" e se há coisa que falta é dinheiro. Mas, caramba, será que fomos assim tão inúteis este tempo todo?

Nós, a "geração rasca", a "geração morangos", a "geração à rasca", a "geração sem remuneração", a "geração casa dos pais", a "geração nem nem" [nem estudam nem trabalham], a geração... uf uf uf! Deixem-me respirar! Será que NÓS somos assim tão culpados?

Fomos nós que deixámos o país chegar a este ponto de sem-vergonhice?
Fomos nós que deixámos o país chegar a este ponto de endividamento?
Fomos nós que metemos estes pulhas no governo?
Fomos nós?

Tentemos olhar um bocadinho para trás. Criticam-nos porque vivemos em casa dos pais até muito mais tarde, criticam-nos por não sabermos como é dura a vida, criticam-nos por termos sempre tudo sem ter de lutar por isso. Outro dia li um texto do Miguel Sousa Tavares que achei delicioso:
«Vi uma manifestação de pais, alunos e professores de uma escola pública, onde, dizem eles, chove em alguns locais e faz frio porque não há aquecimento na escola».
M.S. Tavares, Expresso, 5/2/11
Ora, então, ao longo do texto o autor deliciava-se a dizer que era ridícula a manifestação, porque chover em alguns locais [dentro das salas de aula] e fazer frio é perfeitamente normal. Chega ao ponto de sugerir aos meninos que, se têm frio, comprem cobertores! Tudo isto porque, segundo ele, no seu tempo (adoro o velho não-argumento do "meu tempo") ele ia para escola no meio da serra, tinha de andar a pé pelo meio de montes com um frio desgraçado e, ainda assim, está vivo e bem na vida.

Pois então, segundo Miguel Sousa Tavares, se os pais dos pais dos pais dos pais dos pais dos pais dos pais... dos pais dos nossos pais viviam em cavernas, não tinham descoberto o fogo e andavam nus, então nós, em 2011, teríamos também de andar da mesma maneira.

É com este tipo de crítica que tenho convivido durante os 20 anos da minha existência. A culpa não é da falta de condições que, no ano de 2011, é inaceitável. A culpa é da "geração" que está mal habituada. 

A culpa não é dos professores que tivemos que, salvo raras excepções, foram péssimos, horríveis, medonhos. A culpa é nossa, porque não estudamos o suficiente. 

A culpa não é das pessoas que pagam quantias astronómicas de dinheiro a outras pessoas para
escreverem barbaridades como estas nos seus jornais. A culpa é nossa, porque com o nosso hábito de protestar quando algo está mal lhes damos razões para que eles falem "do seu tempo" dizendo que esse é que era bonito. 

A culpa não é das pessoas que deixaram que o poder no nosso país esteja entregue a uma cambada de indivíduos sem carácter, sem palavra, sem ponta por onde se lhe pegue. A culpa é nossa, porque nos abstemos.

A culpa não é das pessoas que construíram uma sociedade na qual se reelege um primeiro ministro que, em termos éticos, está enterrado até à ponta dos cabelos. A culpa não é nossa das pessoas que só deixam de gostar desse mesmo primeiro-ministro quando ele adopta medidas económicas duras. A culpa não é das pessoas que se estão bem nas tintas para a ética. A culpa não é das pessoas que só se sentem revoltadas quando começam a mexer no seu dinheiro.

Não, meus caros. A culpa é nossa! 

NOSSA, QUE ANDAMOS A VIVER EM CASA DOS PAIS PORQUE NÃO HÁ EMPREGO PARA NÓS E NÃO TEMOS FORMA DE NOS TORNARMOS INDEPENDENTES.  

NOSSA, QUE TEMOS DE IR ESTUDAR PARA O ESTRANGEIRO EM BUSCA DO SONHO DE ESTUDAR MEDICINA, PORQUE O NOSSO PAÍS, EMBORA COM FALTA DE MÉDICOS, MANTÉM POUQUÍSSIMAS VAGAS PARA QUEM MÉDICO QUISER SER.  

NOSSA, PORQUE VIVEMOS ANOS E ANOS A OUVIR MIGUÉIS SOUSAS TAVARES A ESCREVER BARBARIDADES DESTAS SOBRE NÓS E NADA FAZEMOS. 

NOSSA.

9 comentários:

Mau-r-à-dona disse...

E parabéns ao blog, que faz hoje 2 anos com bem menos selvagens do que aqueles que com ele nasceram...

PITT disse...

ai se nao fosses tu meu querido Mau xD

parabens VaiPaSelva :D

Titi disse...

tenho muita pena que o blog esteja assim =S..mas continuo a gostar do que escreves cá, apesar de nem sempre concordar.

Quanto a este post..

A tua crítica tem de vir parar sempre ao teu adorado primeiro-ministro =P.. mas no caso da educação acho que não lhe podes apontar o dedo.. Ele fez coisas que muitos não gostam (que foi fechar escolas) mas muito sinceramente acho que isso faz melhorar a qualidade de ensino. No que toca a vagas no curso de medicina acho que isso tens razão, mas é muito melhor importar médicos espanhóis ou do leste, pelo menos na opinião deles. Nas manifestações que vi achei muitas muitas delas estúpidas. Não porque o pai do pai do pai do meu pai não tinha condições como eles exigem mas porque, com as obras realizadas, as escolas públicas ficaram com grandes condições. Agora esse senhor tem opiniões bastante peculiares.

Titi disse...

Ah e continua a escrever aqui =D

Mau disse...

Arre, Titi! Já sei que se pudesses casavas com o homem, mas onde é que tu lês a crítica ao primeiro ministro aqui, fogo?

Há ao palhaço do sócrates, como há ao MST, como há a tantos outros que são SÍMBOLOS da sociedade horrível que temos. O que eu defendo no texto é que a não é tão nossa como estes "do seu tempo" costumam dizer e têm vindo a fazê-lo durante toda a minha vida.

Quanto à educação já disse e redigo: não sabes do que falas. Tu, como grande parte das pessoas. Eras daqueles que defendiam a avaliação, mas que não sabiam em que consistia a mesma. Mas já tivemos essa discussão inúmeras vezes, não vejo para que vamos voltar ao mesmo...

E será que essa tua adoração por ele é tão cega que te permite concordar com os argumentos argumentos do MST? Arre, que a cegueira já faz perder a paciência, pá!

Já agora... uma vez que comentaste (e obrigado, já és dos poucos, por mais que me custe...) podes, pelo menos, comentar o que achas do tema do post? Caramba, pertences à mesma geração que eu, falo sobre nós e tu vens-me... com o Socas?! Arre!!!

Mau Maria disse...

"Nas manifestações que vi achei muitas muitas delas estúpidas. Não porque o pai do pai do pai do meu pai não tinha condições como eles exigem mas porque, com as obras realizadas, as escolas públicas ficaram com grandes condições"

Como é que é? Achas, então, que manifestações porque chove dentro de escolas são ridículas, porque com as obras as condições ficaram óptimas? Ou, se não estás a falar deste caso, que manif sobre condições é que é ridícula?

(Lamento profundamente que a discussão em redor deste post seja novamente o governo. O objectivo não era, de todo, esse. E, sinceramente, não vale a pena discutir mais esse assunto. Acho que quem, no estado em que isto está, o continua a defender, só pode ser mais Pêésse do que eu benfiquista...)

B disse...

Parabéns ao blog e muitos parabéns a todos os que se têm esforçado por fazer dele o que é :)) com muita pena não tenho acompanhado mas .. assim que conseguir meto a leitura em dia ..

Titi disse...

Querido mauzinho, confesso que ter falado no nosso PM foi apenas uma pequena provocação por saber o quanto o adoras =P.. No que o defendi na educação não foi quanto à matéria da avaliação dos professores (isso já aqui foi discutido e acho que ficou clara a forma como achava que devia ser feita), o que disse foi relativamente à construção dos parques escolares. Agora as escolas públicas têm muito boas condições, as manifs que achei estúpidas foi relativamente às escolas semi-privadas, pois o principal argumento dos pais dos alunos era que aquelas escolas têm melhores condições. Por mim tudo bem que tenham essas condições, mas se querem que os filhos as tenham paguem-nas, não tenho de ser eu nem tu a fazê-lo, era a isso que me referia.

Tens razão que a discussão que comecei por lançar fugiu ao tema do post, depois de escrever sobre o tema que este comentário começa por falar esqueci-me de escrever sobre o resto. Eu acho ridículo que nos rotulem desta forma. Nós somos quem mais vai pagar pelos erros que esta "geração prodigiosa" que tem estado no poder estes anos todos vai cometendo, bem como todas as suas falcatruas, favores aos amigos dos presidentes e coisas do género. Na minha opinião, a nossa função na sociedade é fazer com que as gerações vindouras tenham melhores condições a todos os níveis que as que agora temos, por isso não entendo porque nos chamam de copos de leite e de meninos mimados e mal habituados. Nós andamos a matar-nos a estudar para que nós e o país tenhamos um futuro melhor... Não se entende estes prodígios. Realmente para que sair da caverna e deixar de atirar lanças a quem põe um pé no meu território??


No que depender de mim vais continuar a ter pelo menos um leitor :)

Teclas disse...

Well, well, well...eu também acho ridículas algumas manifestações. E não me pagam balúrdios para escrever num jornal. Nem tenho 50 anos. Sorry! =)

Publicidade

Para efeitos legais é importante explicar que o nosso site usa uma Política de Publicidade com base em interesses.